Quando o Socialismo se iguala ao Capitalismo?

Primeiramente, deve-se entender o que é Capitalismo, Socialismo e Desigualdade Social, conceitos os quais também aplicarei as minhas ideias (Philipe Afonso*). A partir do entendimento desses conceitos, será um conhecimento de fácil absorção. Portanto, se desejas entender quando o socialismo se iguala ao capitalismo, os próximos parágrafos não deverão ser poupados. Atenta-te bem à leitura! O Capitalismo, segundo Karl Marx, organiza toda a vida social em torno do mercado, onde toda mercadoria deve ser trocada. A troca dessa mercadoria determinará o comportamento dos agentes no mercado, o qual é dominado pela norma da eficiência econômica. O mercado é, aparentemente, uma instituição neutra que promove liberdade e igualdade a todos. A partir dessas ideias, entende-se que o trabalho humano torna-se uma mercadoria e, como consequência da configuração dos agentes no mercado, surgem duas grandes classes: Capitalistas e Proletários. Os capitalistas são, de forma simplificada, os patrões, e os Proletários são os trabalhadores. Por conseguinte; com o surgimento de grandes classes que visam interesses opostos, os quais chegam a atingir extremos, ao mesmo tempo que o capitalismo busca a igualdade e a liberdade, ele rouba essa possibilidade. Aplicando as minhas ideias*, entendo que o Capitalismo é um “falso paraíso”. A lógica desse sistema é o Capital, a produção econômica e seu desenvolvimento. Portanto, não importa os meios que serão utilizados para alcançar a proliferação do capital. Mesmo que estes meios negligenciem o seu ideal de igualdade e liberdade. Chamo o Capitalismo Marxista de Capitalismo Produtivo (de produção) ou Industrial, por ser paradoxal enquanto as suas propostas e aplicações, o que difere do Capitalismo Natural, o qual trabalhei em um artigo anterior, mas que explico brevemente: O Capitalismo Natural é uma característica própria/essencial do homem, o qual é caracterizado pela exploração do meio em que vive, não o enfraquecendo, para seu sustento e distribuição entre membros da mesma sociedade. Outra característica é o exercício de igualdade e justiça, conceitos os quais trabalhei em um artigo. Já o Socialismo, segundo Karl Marx, compreende o homem como um ser social e histórico, contrapondo as ideias capitalistas em que o homem é compreendido como uma mercadoria, buscando o fim da dominação de uma classe social sobre a outra. O princípio do Socialismo preza a vida social conforme a dinâmica da base produtiva das sociedades e das lutas de classes pela igualdade em um meio social, aproveitando sua produção para o estado. O Marxismo, também conhecido como socialismo marxista ou socialismo cientifico é uma doutrina política, social e econômica formulada por Marx e Engels no final da década de 1840. Essa doutrina socialista visava analisar a sociedade (do ponto de vista histórico, político e econômico) para transformá-la. Seu objetivo principal era a substituição do capitalismo pelo comunismo, através de um processo revolucionário proletário. Conceito que explica a oposição entre explorados (trabalhadores) e exploradores (proprietários dos bens de produção). De acordo com o socialismo científico, a luta de classes desencadearia uma revolução proletária que teria como resultado o fim do capitalismo e a implantação do comunismo. Neste novo sistema, esta luta de classes não existiria mais, pois não haveria mais exploradores e explorados. De acordo com os ideólogos do marxismo, a revolução socialista seria o meio pelo qual os trabalhadores tomariam o poder, eliminando a propriedade privada e socializando os meios de produção (terras e fábricas). Com a implantação do comunismo, logo após a ditadura do proletariado, seriam eliminadas as desigualdades econômicas e sociais, tornando, assim, uma acreditada sociedade sustentável. Aplicando as minhas ideias no Socialismo Marxista, observo a proximidade desse conceito com o meu conceito de Capitalismo Natural. E o que diferencia o Socialismo Marxista do Capitalismo Natural, o qual agora chamarei de Naturalismo, são os meios para atingir uma sociedade igual e justa. O Naturalismo já é presente dentro de nós e o Socialismo é uma busca para atingir esse estado (justo e igual, mas natural). Porém, paramos por aqui, entendendo que o socialismo aplicado de forma errada, ou seja, não visando a busca do estado comunista, diverge do Naturalismo. Portanto, as divergências entre Naturalismo e Comunismo são quase inexistentes. Compararei o meu conceito de Naturalismo com Comunismo em outro artigo. Dessa forma, entendo que o Socialismo é uma busca para um sociedade sem desigualdade, assemelhando-se aos ideais capitalistas; mas, quando desviado dos seus objetivos, torna-se uma extensão do capitalismo, porém um capitalismo limitado em seu território. Por exemplo, a URSS, sob domínio de Stalin, era extremamente desigual, os trabalhadores eram fortemente explorados e aqueles que contestassem as exigências do estado eram mandados aos Gullags. Entenda que a ideia dum “capitalismo limitado em seu território” é devida às relações comerciais internacionais, as quais diferenciam-se do capitalismo por serem nacionais e não globais/internacionais. A desigualdade social é formada, segundo Max Weber, a partir das estratificações sociais. As três grandes estratificações ocorrem no campo da economia, do status e do poder, proporcionando uma diferenciação no acesso à renda e ao controle social. Weber compreende a realidade social como infinita e em função de limitações científicas de cunho técnico, analisando a sociedade de forma singular e não como um todo. Portanto, aplicando a ideia da desigualdade social, verifica-se que a má gestão do socialismo, ou seja, quando o estado não passa pelos processos ditados por Karl Marx, assemelha-se ao capitalismo devido a configuração de classes extremas: Ricos e Pobres. Um exemplo para o Socialismo “mal-gestado” é a URSS sob controle de Stalin, a qual fugiu dos ideais marxistas aplicando um “falso socialismo”, ou apenas “mascarando” um capitalismo com ideias sociais para explicar a riqueza do estado. Partindo das minhas ideias*, um estado que possui todo o controle da produção, da gestão do capital, por meio da distribuição desigual que favorece uma camada social e negligencia a outra, tendo esta como uma simples “máquina de produção”, é um estado Capitalista. Portanto, o que intersecciona o capitalismo e o socialismo, em certa ocasião, é a configuração de classes sociais extremas, a distribuição de renda de forma desigual e o favorecimento a uma classe social dominante. E tenho como exemplo a URSS em sua fase Stalinista e a China, sendo o último exemplo compreendido pelo estado (semi)socialista governado por um partido ditado comunista onde se observa a extrema desigualdade social.capitalism_vs_socialism images communist_party_mask socialismo_vs_capitalismo-gifimages